Edgar Allan Poe, por Hélio do Soveral

R$59,90

Este é um livro de Poe. Mas não apenas um livro de Poe. Trata-se de um projeto de vida de um dos maiores autores da pulp fiction brasileira, Hélio do Soveral, que não só traduziu como comentou a maior parte da obra poética do mestre do terror. Escritor de obras de terroraventura romance policial, Soveral tinha em Poe uma inspiração fundamental para o seu trabalho, e ver a leitura que o autor faz da obra de Poe nos ajuda a entender melhor a forma como seu legado foi recebido no Brasil.

Disponibilidade : 3 em estoque Categorias: , Tags: , ,
Ver carrinho

Este é um livro de Poe. Mas não apenas um livro de Poe. Trata-se de um projeto de vida de um dos maiores autores da pulp fiction brasileira, Hélio do Soveral, que não só traduziu como comentou a maior parte da obra poética do mestre do terror. Escritor de obras de terroraventura romance policial, Soveral tinha em Poe uma inspiração fundamental para o seu trabalho, e ver a leitura que o autor faz da obra de Poe nos ajuda a entender melhor a forma como seu legado foi recebido no Brasil.

Além do cuidadoso trabalho linguístico e literário de Soveral, Edgar Allan Poe por Hélio do Soveral conta com paratextos incríveis para nortear sua leitura. Abrindo o livro, temos a apresentação daquele que seria o prefacista original do projeto, outro dos mestres do pulp nacional, Rubens F. Luchetti. Para o novo prefácio, convidamos uma das maiores especialistas em Poe do Brasil, a Profª. Drª. Renata Philippov, que nos ajuda a entender melhor quem foi Poe e que temas norteavam sua escrita. Por fim, o organizador do livro e um dos principais pesquisadores do acervo de Hélio do Soveral hoje, Leonardo Nahoum, nos traz um posfácio detalhado sobre a história de produção do livro, originalmente batizado de Poética. Não esqueçamos, ainda, da orelha do livro, assinada por Dagomir Marquezi, outro importantíssimo pesquisador da vida e obra de Hélio do Soveral.

Nessa edição bilíngue, tanto leitores casuais quanto pesquisadores encontrarão uma obra fundamental para compor qualquer boa estante de literatura, seja pelo interesse na poesia de Poe, na obra de Soveral ou no diálogo de ambos.

Edgar Allan Poe (1809-1849) dispensa apresentações. Escritor, editor, poeta, ensaísta, dramaturgo e uma das maiores vozes artísticas norte-americanas do século XIX, Poe ainda tem a seu crédito, apesar da vida breve de apenas quatro décadas, a criação dos primeiros contos da moderna ficção policial e do primeiro detetive merecedor desse nome, C. Auguste Dupin. Poe é também nome fundamental e influente para as literaturas gótica, sobrenatural e de horror contemporâneas, em grande parte devido à qualidade de sua ficção curta. Curiosamente, apesar de ter iniciado a carreira publicando volumes de versos, sua obra poética é pouquíssimo difundida e estudada, mesmo que seu trabalho mais famoso seja justamente um poema longo, “O corvo”, tão admirado que, apenas em língua portuguesa, nomes como Machado de Assis e Fernando Pessoa arriscaram para ele versões.

Hélio do Soveral (1918-2001), escritor português que viveu praticamente toda sua vida no Brasil e um dos maiores nomes de nossa literatura pulp (escreveu mais de 1.000 roteiros de seu programa policial Teatro de mistério, no ar por três décadas, além de centenas de livros de bolso), trabalhou por quase 20 anos em versões para o português do que entendia como o melhor da obra lírica de Poe; para cada poema, ofereceu-nos ainda textos introdutórios onde apresentava cada obra, em seu contexto histórico, além de descrever os meandros e as dificuldades de sua recriação do inglês para a língua portuguesa.

Leonardo Nahoum é doutor em literatura comparada pela Universidade Federal Fluminense, mestre em estudos literários, jornalista e graduando em Letras. Autor de Livros de bolso infantis em plena ditadura militar: a insuperável Coleção Mister Olho (1973-1979) em números, perfis e análises (AVEC, 2022) Histórias de detetive para crianças (Eduff, 2017), da Enciclopédia do rock progressivo (Rock Symphony, 2005) e de Tagmar (primeiro role-playing game brasileiro; GSA, 1991); dirige, ainda, o selo musical Rock Symphony, com mais de 120 CDs e DVDs editados, e dedica-se a pesquisas no campo da literatura infantojuvenil de gênero (genre, não gender), com foco em autores como Carlos Figueiredo, Ganymédes José e, claro, Hélio do Soveral.

Informação adicional

Peso 485 g
Dimensões 21 × 14 × 2,1 cm
Gênero

poesia